Como Acrescentar Valor À Uma Marca

Como Acrescentar Valor À Uma Marca

Como a percepção dos clientes pode afetar (e muito) o seu valor no mercado

 

Valor vs Marca: dizer que o cliente faz a marca não é só óbvio como necessário. Sem cliente não tem venda, e sem venda não tem empresa, pois todo o investimento vai por água a baixo.

Como, então, saber investir de maneira consciente em um relacionamento favorável para uma boa experiência entre vendedor e consumidor?

 

Simples. Utilizando da estratégia do Brand Equity.

Sim, simples mesmo! Mas o que é isso?

 

Brand equity, ou valor de marca, é um termo do marketing que descreve nada mais nada menos do que o valor de uma marca. Esse valor é determinado pela percepção e experiência do consumidor com determinado produto. Se as pessoas gostam de uma marca, pensando apenas coisas boas sobre ela, ela tem um valor positivo. Quando uma marca apresenta desempenho insuficiente e decepciona a ponto de as pessoas recomendarem que outras a evitem, ela tem um valor negativo.

 

Na teoria, é tudo bem óbvio. Já na prática, é bom estudar o que você precisa melhorar no seu produto.

 

Componentes do Brand Equity

O aumento da sua participação no mercado deverá ser igual ao resultado da lealdade e valor da marca do cliente. Existem quatro componentes que fornecem esses resultados:

 

Reconhecimento da marca – A marca é amplamente conhecida e reconhecida, e os consumidores sabem o que são oferecidos em relação à concorrência.

Experiência da marca – Os consumidores usaram e experimentaram o produto o suficiente para criar expectativas.

Preferência da marca – a marca é a preferida pelos consumidores e, como resultado, eles se tornam clientes que retornam.

Lealdade à marca – A marca e o consumidor têm um apego emocional, e o consumidor fará todo o possível para comprá-la.

 

 

Como Obter Esses Componentes

Busque o feedback. Agradeça os elogios e lembre o seu cliente de que tudo é feito com carinho e especialmente para que ele volte sempre. Agradeça também as críticas e garanta que aprenderá com elas. Errar é humano, mas aprender com os erros é indispensável para um bom valor de marca.

 

Personalize essas experiências. Saiba como lendo mais nessa matéria especial que nós da Comunikar preparamos especialmente para você. Viu? Já até personalizei um pouquinho nesse parágrafo. Se eu não falasse você nem ia notar.

 

Seja rápido ao responder feedbacks negativos. Sério. Não deixe o fogo se alastrar antes que seja tarde demais. Além disso, mostrar pronto atendimento à clientes insatisfeitos também garante a eles que você não está aqui para fazer corpo mole. Sua empresa é sua vida: trate-a como tal.

 

Visualmente falando, para deixar sua marca na “boca do povo”, faça questão de usar sempre as mesmas cores e o mesmo logo para estabelecer um padrão. Quanto mais personalizado e mais chamativo, melhor para o seu branding. Esse é o tipo de coisa que não sai da cabeça das pessoas.

 

Mantenha uma presença ativa nas redes sociais. Ficar sem postar por muito tempo é uma péssima ideia quando se trata em obter valor de marca. Você não quer cair no esquecimento, não é mesmo? São tantas empresas indo e vindo na vida de uma só pessoa no dia a dia que sumir por algumas horas já é arriscado o suficiente.

 

CUIDADO! Exagerar na presença também não é ideal. Algumas redes como o Instagram consideram como spam o excesso de postagens durante o dia. Isso pode resultar no bloqueio total da sua conta.

 

Concluindo…

Cativar as pessoas realmente não é tão difícil quanto parece. A chave para o carisma é a boa educação e o amor pelo atendimento ao cliente. Se você seguir essas dicas direitinho, adicionar valor à sua marca será uma questão de tempo.

 

E caso precise de ajuda… nós estamos aqui exatamente para isso. ????

Read More
11 de fevereiro de 2020

6 Jeitos Infalíveis de Conhecer o Seu Cliente

6 Jeitos Infalíveis de Conhecer o Seu Cliente

Como entender seus clientes te ajuda a sair na frente das outras empresas

 

Conhecer o seu cliente é provavelmente a parte mais essencial para se obter uma venda de sucesso.

Porém, todavia, não obstante, muito além de vender, você fabrica seus produtos para agradar alguém que precisa deles – e esse alguém constrói sua empresa muito mais do que você imagina.

 

O marketing de internet não é e nem pode ser conduzido de forma superficial, como vem acontecendo com tantas automações no mundo dos negócios. A otimização da venda se torna um ponto que distrai as empresas da importância de um relacionamento interpessoal com seus clientes. Mesmo assim, ao invés de nutrir a experiência do usuário, eles negligenciam algo tão básico quanto conhecer a quem se vende.

 

Pessoas se tornam números e, em primeira instância, números não vão render tanto se não forem analisados como indivíduos que possuem interesses próprios.

Comece lembrando que…

 

1. Empatia gera resultado

Você se colocar no lugar do outro não só te oferece um novo horizonte como um mundo de possibilidades para ampliar sua produção. Do que as pessoas gostam? O que as pessoas querem? Por que querem o que querem? Parar para ler comentários e feedbacks não é só um ato de ouvir seus clientes – é um ato de se conscientizar para oferecer uma marca que os atraia.

 

Mas não é só de bate papo que uma empresa vive. Aproveite a tecnologia e…

 

2. Use todos os dados disponíveis.

Uma pesquisa descobriu que apenas 38% dos profissionais de marketing observam dados das mídias sociais, dados esses que poderiam ajudá-los a se direcionarem melhor. Ter uma conta em aplicativos de relacionamento é uma obrigação para as empresas que podem aproveitá-la para interagir com seus clientes.

 

Há uma infinidade de ferramentas de marketing em redes sociais que te passam informações palpáveis sobre alcance demográfico. No Instagram, por exemplo, há a possibilidade de se obter informações sobre o público mais ativo separado por localização, idade, gênero e até mesmo horários de maior engajamento.

 

Faça uma lista de todos esses dados e foque em produzir conteúdos que condizem com os clientes que você tem. Não faz sentido você usar de uma linguagem formal se o seu público é, em sua maioria, jovens e adolescentes por exemplo.

Sabendo disso, é bom que você…

 

3. Identifique e atue no que chama a atenção do seu cliente

Vá até seus clientes para conhecer eles; não espere que eles venham até você. Um estudo feito pela Yesmail descobriu que a maioria dos profissionais ignoram sinais de crescimento em interações. Esses são os clientes com maior probabilidade de gastar ou continuar gastando. Sendo assim, identifique seus consumidores mais importantes, mas não se esqueça de determinar que uma experiência mais personalizada te levará ainda mais longe.

 

“E como eu posso entender esses sinais?” ora, de forma clara,

 

4. Levante perguntas e preste atenção nas respostas

Em uma escala de um a 10, qual a probabilidade de você usar uma pesquisa de satisfação para melhorar seu produto e o relacionamento com seus clientes? Se respondeu menos que 10, está na hora de agir. As vezes, para saber o que precisa, é necessário perguntar o óbvio.

 

É claro que chegar no cliente e perguntar “e aí, o que você quer?” não é a melhor estratégia. Por isso, seja sorrateiro. Pergunte o que eles sentem que falta na sua loja, o que eles gostariam de ver no seu negócio e que tipo de novidade os fariam felizes. Algumas sugestões podem ser tão boas que aderir a elas só te providenciará vantagens.

 

São muitas as pessoas que querem algo mas não têm coragem de dar um passo a frente para falar. Dê o espaço necessário e convide-as a soltar o verbo. Interação é a chave que você precisa para abrir a porta para novos negócios outrora impensáveis.

 

quem são meus clientes

5. Evite confiar somente em estratégias passadas

Isso é tanto uma filosofia de negócios quanto uma tática de marketing. Não presuma que métodos que funcionaram bem no ano passado vão funcionar no futuro. O marketing digital evolui junto ao fluxo da tecnologia, e ela não é de ficar presa ao passado.

 

Atualize consistentemente seus dados e informações existentes para garantir que você tenha (e, mais importante, esteja atuando com) os melhores dados disponíveis. É preciso checar as informações dos seus clientes de maneira rotineira, pois até eles tendem a sofrer metamorfoses com criações de novas modas.

 

Por último mas não menos importante,

 

6. Fique de olho nos seus concorrentes

A menos que você seja um dos raros pioneiros no seu setor, você terá concorrentes. Aprenda com os erros alheios e cresça com seus acertos. Veja o que os clientes deles querem e faça questão de oferecer exatamente aquilo que falta.

As reações do cliente alheio também servem para você organizar a sua produção. Muito dificilmente pessoas com gostos semelhantes vão ter opiniões demasiadamente diferentes.

 

Sem falar que você pode usar esse conhecimento para criar estratégias de marketing que aproveitem as fraquezas de seus concorrentes e melhorem o desempenho dos seus próprios negócios. Conheça os clientes deles, pois eles também podem se tornar seus fiéis seguidores com a estratégia certa.

 

 

Viu só? Entender as pessoas não é nenhum bicho de sete cabeças. Difícil é vender sem conhecer a quem se vende. Agora que você sabe como derrubar esse muro que te separa dos seus consumidores em potencial, que tal expandir seu negócio?

Read More
22 de janeiro de 2020

Produtividade é a Maior Promessa de Ano Novo de Todos os Tempos

Produtividade é a Maior Promessa de Ano Novo de Todos os Tempos

Favor não procrastinar a leitura desse artigo!

 

É difícil não ver alguém sofrendo com promessas que não puderam cumprir durante o ano devido à falta de produtividade. Essa falta de comprometimento é então mascarada por novas resoluções para o ano que vem – o que é irônico, já que procrastinação é um dos maiores inimigos de uma vida produtiva.

 

Como quebrar essa maldição?

A resposta é simples, só que não. É sempre bom saber que nem tudo vem fácil, e que certas pretensões levam à saída obrigatória da zona de conforto. E não é só porque é difícil que tudo será impossível: completar uma lista com devida produtividade requer paciência, força de vontade e disciplina.

 

Considere seus desejos uma meta a ser traçada. Será que o que você quer é realmente necessário? Você tem tempo para isso? É possível? Se a resposta é sim para todas as perguntas, então não há mais desculpas – ou faz ou faz.

 

Não se limite com um temporizador. Algumas promessas não precisam de deadline, apenas de foco e organização. Um ambiente de trabalho limpo e uma mente relaxada são parceiros infalíveis para a realização de qualquer plano executável. Nada claro sai de uma cabeça cheia e de uma mesa bagunçada.

 

O tempo que você passa dando desculpas é o tempo que poderia estar sendo gasto realizando sonhos. Cinco minutos, dez minutos, uma hora – não importa. Nem toda resolução é grande demais para ser dividida em partes pequenas, principalmente se for relativa à produtividade. Você não é obrigado(a) a resolver seus problemas em hora record, mas postergar também não é uma opção.

 

Produtividade não é sinônimo de rapidez, e sim de eficiência. Sério, isso não é papo de coach. Aliás, você pode ser seu próprio coach ao utilizar pensamentos positivos como muleta. Muitas listas são abandonadas no meio do caminho assim que o primeiro obstáculo aparece. A vida é feita de imprevistos. Saber ultrapassá-los não só deve fazer parte da sua rotina como também ser uma resolução.

 

Ser produtivo não é exclusividade do marketing digital, mas o bom marketing sabe utilizar esses conceitos em seu favor. São tantos projetos e tão pouco tempo, tantas ideias e tão pouco papel. Entra aí o planejamento consciente, onde essas cinco dicas se encaixam perfeitamente.

 

Pra que deixar para 2021 o que se pode fazer em 2020?

Read More
27 de dezembro de 2019