A Influência das Cores nas Vendas

A Influência das Cores nas Vendas

Como a escolha de uma paleta de cores pode afetar o seu negócio

 

A psicologia das cores foi desenvolvida com o objetivo de analisar nossa relação os tons que nos cercam. Segundo pesquisa, 80% dos consumidores sinalizam o impacto da cor na decisão da compra.

 

Vale apontar que 90% das decisões de compra estão relacionadas aos aspectos visuais do produto.Logo, como consequência, entender a preferência do consumidor é importante para influenciar na fidelização.

 

Os primeiros estudos tiveram inicio em 1666, quando Isaac Newton descobriu que a luz branca, ao passar por um prisma, separava-se em diversas cores. Porém, foi o alemão Johann Wolfgang Von Goethe que criou a “Teoria da Cor”.

 

Segundo o cientista, a cor não depende somente da luz e do ambiente, mas também da percepção que temos do objeto. A identificação dos tons é subjetivo, porém os efeitos das cores são universais.

As cores quentes como o vermelho, amarelo e o laranja são estimulantes, alegres, emitem sentimento de ação. Já as cores frias como azul, roxo e verde possuem propriedade calmante por serem suaves e “tranquilas”.

 

Para encontrar a sua cor, é preciso considerar dois pontos chave: a emoção que você quer causar e a impressão que você quer deixar. Que tal descobrir mais sobre o significado de cada tom?

 

cores no marketing

Vermelho

Por definição, é a cor mais quente, simbolizando fogo e paixão. Estimula o aumento da frequência cardíaca e aumenta a respiração.

 

Laranja

É a cor modelo para calor e alegria. Laranja geralmente remete a verão, despertando otimismo e brilho devido a sua intensidade.

 

Amarelo

É a cor do sol. Transmite alegria, relaxamento e estimula a criatividade. O motivo da cor ser utilizada no Setembro Amarelo é o fato de ela ser considerada um calmante para situações de ansiedade.

 

Verde

A famosa cor da esperança e da natureza funciona como sedativo. Olhar para ela é considerado um alivio funcional para as dores de cabeça.

 

Azul

O tom mais “de boa” de todos é também um exterminador de energias negativas. Olhe para o céu – a ideia da amplitude azul acalma até o mais estressado dos clientes.

 

Roxo

Essa é considerada a cor da realeza. Mesmo assim, um dos sentimentos relacionados a ela é a melancolia.

 

Marrom

Cor de madeira, de terra. É ligada ao solo e à segurança do firmamento.

 

Rosa

O rosa demonstra afeto, carinho. O tom pastel também pode ser relacionado à maternidade e à pureza, ao doce e ao gentil.

 

Branco

Paz, fé, lealdade. Tudo relacionado à cor branca deriva do sentimento de divindade. Não é a toa que o vestido da noiva é branco, assim como as roupas que usamos no Ano Novo.

 

Preto

Morte, luto, mistério, escuridão. Ao contrário do branco, a cor preta foi transformada em um antagonista que representa tudo que vai contra a vida enquanto simbolismo. Mesmo assim, também é considerado um tom luxuoso e poderoso.

 

Cinza

O cinza varia entre chique, melancólico e tedioso. É uma cor muito usada na parte de tecnologia por remeter a metal.

 

Você muito provavelmente já percebeu que as cores preto e vermelho são muito usadas para banners de liquidação. Ou seja, nem sempre as lojas optam por seguir padrões durante o ano inteiro, especialmente durante períodos e eventos especiais. Assim como o vermelho e o verde são as cores do natal, o branco e o azul remetem ao inverno, enquanto o amarelo e o laranja remetem ao verão, como dito anteriormente.

 

Mesmo assim, estabelecer uma cor tema para a sua marca vai ajudar a dar um “rosto” para sua empresa – assim como quem pensa em vermelho e amarelo pode simplesmente imaginar um delicioso Big Mac do Mc Donald’s de cara. Isso tudo faz parte de um bom branding.

 

Agora é só sentar e pensar em um mar de cores para chamar de seu. 😉

Read More
4 de fevereiro de 2020

Briefing – 5 perguntas imprescindíveis para um bom trabalho.

Um bom briefing é essencial para a elaboração de qualquer trabalho.

Quando estamos falando da identidade de uma marca então, o essencial pode até ser pouco (se isso fosse possível). Fazendo as perguntas certas ao seu cliente você irá poupar muito tempo de pesquisa e refação, porque você vai direto ao ponto, direto ao que o cliente espera.

Por isso separamos 5 perguntas básicas que você pode desmembrar em outras perguntas que forem cabíveis à empresa na qual está propondo o serviço. Com essas perguntas, você mesmo já consegue preencher o briefing inicial.

O quê?

Caso seja um trabalho novo, é nesse momento que você faz perguntas como “Quais são as peças a serem criadas?“, “A impressão deverá ser incluída no orçamento?“, entre outras.

Aproveite aqui para vender o seu peixe e falar ao cliente tudo o que poderia ser agregado ao serviço, como por exemplo o logo, manual de identidade, cartão de visita, flyers, pasta, envelope, site, assinatura de e-mail e o que mais for sua especialidade.

Por quê?

A principal pergunta que você pode tirar dessa pergunta chave é “Qual é o objetivo do seu projeto?“.

Isso pode mudar totalmente seu pensamento em relação a criação dessa marca, porque ele pode estar te contratando para fazer um redesign de uma marca já existente ou querendo criar uma nova.

Se for um redesign, você não pode deixar de conhecer a marca antiga e o que fez ele ter escolhido aquela marca. Ainda na questão de redesign, você precisaria perguntar “Por que está querendo mudar sua marca?“.

Se for uma marca nova, não deixe de saber o máximo da empresa dele, com perguntas como “Me conte mais da sua empresa“, “Fale sobre seu negócio“, “Existe um slogan?“, entre outras coisas que mudam completamente o visual da marca.

Como?

Esse momento você precisa entender como ele quer essa marca e fazer um benchmarking. “Existe um estilo que deseja seguir?“, “Quais são suas marcas de referência?“, “Quais cores você não quer utilizar?“.

Esse último é importante porque apesar de você saber que uma determinada cor terá um impacto positivo na marca dele, ele pode ter algum problema pessoal com aquela cor e não aceitá-la de jeito nenhum.

As marcas de referência determinam não só o estilo visual, mas também o público que ele gostaria de atingir e a experiência que ele quer transmitir aos seus clientes.

Onde?

Aproveite aqui para perguntar “Para quem e onde essa peça será veiculada?“.

Isso altera drasticamente as cores e o estilo de sua criação, se será voltado a um público infantil, para um público de poder aquisitivo maior ou menor, etc.

Quando?

Qual é o prazo de entrega?“. Resposta como “para ontem” não contam. O prazo influencia totalmente no valor do projeto, porque se você tem um prazo maior, você poderá fazer com mais calma, poderá trabalhar em outros projetos simultaneamente e isso pode te dar uma margem para negociação.

A pergunta “Qual é o seu budget?” divide opiniões, pois algumas empresas consideram isso agressivo, então sinta isso do seu cliente antes de perguntar, mas não deixa de ser importante até mesmo como um filtro de clientes, pois muitos desvalorizam o trabalho e você poderá descartá-lo nesse primeiro contato ou tentar convencê-lo que as coisas não são bem assim como ele imagina.

Lembrando que essas cinco perguntas chaves são para ajudá-lo a montar suas perguntas “oficiais”, como viram na explicação de cada uma.

Portanto, não perca tempo. Seja objetivo e evite desgastes com seus clientes.

Fonte: Designerd

Read More
31 de março de 2016