3 passos para aumentar suas vendas

3 passos para aumentar suas vendas

Hoje em dia existem várias técnicas de vendas que prometem turbinar resultados das empresas, como se houvesse uma espécie de “fórmula mágica” que aumentasse as vendas instantaneamente. então o que deve ser feito para que uma empresa impulsione suas vendas, atraia mais clientes e tenha muito sucesso?

Conheça agora os 3 passos para aumentar suas vendas:

Antes de tudo, é necessário que haja planejamento nas ações da empresa, sejam ela de curto, médio ou longo prazo. Alguns princípios devem ser estabelecido para que o planejamento dê certo e sua empresa aumente o número das vendas:

1 – Qual o produto ou serviço da sua empresa?
Conhecer totalmente os produtos e/ou serviços que a sua empresa oferece é de fundamental importância para poder definir quais estratégias irá utilizar para divulgá-los, sempre de forma criativa e assertiva.

2 – Oferte os benefícios de seus produtos/serviços e não apenas suas características.
Dizer apenas que um xampu é feito com determinado componente é menos eficiente que dizer que o mesmo dará vida, brilho, leveza e força aos cabelos de quem o utilizar.

3 – Pense sempre fora da caixa.
Quantas empresas tem o mesmo segmento de atuação da sua? Quantas oferecem os mesmos produtos/serviços com os mesmo benefícios e preços? O que difere uma da outra então? É sempre importante pensar em estratégias para que a sua empresa tenha sempre posição de destaque na escolha de seus clientes.

Há inúmeras coisas que devem ser levadas em consideração para o sucesso de uma empresa, porém, mais importante é sempre estar atento às novidades do mercado e as possibilidades que ele dispõe para aproveitá-las da melhor forma possível. Uma empresa de sucesso é aquela que conhece seu cliente, sabe o que ele precisa e sabe o jeito certo de falar com ele. Seja visionário e pense sempre com organização e propósito, tenha uma ótima estratégia de marketing.

Read More

Como ter um ponto de vendas de sucesso

Como aumentar o sucesso de seu ponto de vendas.

O Brasil é um dos países onde o ponto de vendas ocupa mais importância, entre todas as nações, revelou uma pesquisa sobre o comportamento mundial do consumidor. Cerca de 85% dos brasileiros decidem sobre a compra no local.

Primeiramente, para ter sucesso, é preciso saber melhor quem é o público alvo para ter um ponto de vendas dirigido para ele. O ponto deve se identificar com o consumidor. Após isso é preciso identificar um local mais próximo do público alvo e facilitar a vida dos clientes, sendo de fácil acesso para os mesmos. A loja deve ser livre de interferências, tanto para que o cliente enxergue, quanto para acessá-la. A vizinhança e referências são pontos importantes também para atrair consumidores e que fazem a diferença.

Não importa o tamanho do empreendimento, a marca é o que identifica o negócio, tudo girará em torno dela. Todos os materiais produzidos devem ser identificados por ela, é a identidade visual. A logomarca é o que fixa o cliente. O cliente deve entender o que é vendido sem muito esforço, portanto o nome tem que deixar claro o ramo que se trabalha e deve ser de fácil memorização, o logo deve ser de fácil leitura, não “rabuscado”, o que não é lido com facilidade, não é memorizado. Persistência e repetição são fatores imprescindíveis para o fortalecimento da marca.

Para chamar a atenção do ponto de vendas é preciso ter uma fachada que obedeça a identidade da loja, que atraia olhares e magnetize o cliente, comunicando ao mesmo tempo o que tem a oferecer de forma clara e ovjetiva. Deve ser referência no local onde está. O espaço do ponto deve ser planejado pra ser harmonioso e agradável. O layout deve contemplado com foco na setorização dos produtos, de forma coerente. O cliente tem que ter a circulação facilitada, mas ao mesmo tempo estratégica, para ser induzido a consumir mais. A qualidade dos produtos e diferenciação são também grandes atrativos.

O bom atendimento é importantíssimo para a fidelização do cliente. Pesquisar sobre os clientes é importante também, para agregar aos produtos o que eles gostam e preferem.

Garantir um marketing sensorial, levando em conta todos os sentidos, sempre prestando atenção e trabalhando bem cada um; ativa no público um maior desejo de possuir o produto.

Para se ter um ponto de vendas de sucesso é preciso seguir o pensamento de Sócrates, que dizia: “A maneira de se conseguir boa reputação reside no esforço em se ser aquilo que se deseja parecer”.

Read More

Como definir o seu público-alvo?

Como definir o seu público-alvo? Descubra a Importância de definir seu Público-Alvo.

Um grande problema que muitas empresas, principalmente das que estão começando, é saber diferenciar seu público-alvo dos demais,  definir para quem irá vender seus produtos/serviços. A resposta natural seria: “Vamos vender para todo mundo” mas será que é realmente assim que funciona? Porque tão importante quanto saber o que irá vender, também é preciso saber para quem e como você irá vender para ele.

A definição do público-alvo precisa ser encarada como um fator primordial no planejamento da empresa, podendo passar por readequações ao longo do tempo. Ter uma definição mais completa do público consequentemente ajudará a estruturar melhor os objetivos comerciais e de marketing.

Uma empresa de sucesso conhece muito bem seus produtos/serviços e da mesma forma deve conhecer bem o perfil das pessoas que consomem seus produtos para saber seus desejos, necessidades, hábitos e poder aquisitivo e, com isso, definir novas estratégias para atingir de forma mais certeira.

Visto a importância de definir e conhecer o público-alvo, como fazer, então, para definir qual público a empresa irá atingir? Primeiramente, é importante saber quem já comprou e analisar alguns dados importantes como: sexo, idade, onde mora, profissão, etc. são esses dados que irão auxiliar você a começar entender seu público. Feito isso, deve-se observar os hábitos de consumo desses clientes: o que compram, quando compram e como compram; essas informações servirão para ajudar a empresa a criar novos produtos, estabelecer uma nova comunicação e estratégias de vendas.

Independentemente de qual setor de mercado a empresa atua, alguns fatores externos podem interferir direta ou indiretamente nas decisões planejadas previamente. Porém, a empresa que conhecer bem seus clientes tem mais chances de se adequar a essas mudanças e seguir as tendências e as mudanças que acontecem na sociedade. O mais importante de tudo é estar sempre antenado em todas essas novidades.

Read More

3 Estratégia para e-mail marketing

E-mail marketing, como utilizar essa ferramenta de forma concisa ?

E-mail marketing é umas das ferramentas de marketing que possui maior taxa de assertividade, com baixo custo (quando comparada a outras mídias) e alta possibilidade de personalização que existem no mercado, e em conjunto com outras ferramentas como mídias sociais, google adwords, SEO, etc., fazem o seu negócio obter sucesso online, mas como utilizar essa poderosa ferramenta de forma certeira e conseguir um ótimo resultado? Há alguns pontos importantes que devem ser considerados:

1 – Cuide e invista em sua base de e-mails:

Além da quantidade de e-mails que a empresa trabalha, é importante que se preze pela qualidade de seu lead para que seus e-mails tenham maior resultado e tenham menos opt-out (pessoas pedindo para sair de sua base). Quanto mais se sabe de sua base de e-mails, mais segmentada poderá ser a sua ação e, conseqüentemente, haverá maior engajamento do público com a empresa.

2 – Crie conteúdo que atraia o seu público-alvo:

Agora que conhecemos a base de e-mails, precisamos criar conteúdos que atraiam essas pessoas e as façam interagir com a empresa. é importante ter um cuidado especial com o que irá ser enviado, quais imagens irá utilizar, se é que irá utilizar, qual a linguagem, forma de tratamento, etc. e qual propósito da campanha de e-mail que poderá ser uma newsletters com informações relevantes ou notícias do seguimento, promocionais com algumas ofertas, ou um mix de informação e promoção.

3 – Atenção com a freqüência dos envios:

É importante saber a freqüência certa para enviar o e-mails para que seus clientes não se incomodem e acabem fazendo opt-out de sua lista. O excesso de e-mails é prejudicial e causa uma má reputação para a empresa, afastando o cliente e fazendo com que seus e-mails caiam diretamente na caixa de spam. É necessário também saber quais são os melhores horários para envio, quais dispositivos ele acessa o e-mail com maior frequência, etc para possa interagir com a mensagem.

Antes de se criar as campanhas de e-mail marketing, é preciso ter planejamento e coerência para uma maior assertividade. E-mail marketing pode ser uma excelente forma de aumentar as vendas e o número de clientes, desde que seja utilizada de maneira correta. Deve-se pensar desde a linha de assunto, para que chame a atenção e consequentemente a abertura, até a formatação para que se encaixe em dispositivos móveis como smartphones, tablets, etc.

Quanto melhor for detalhada a sua estratégia, melhor serão seus resultados.

Read More

Marketing Digital e o seu valor de ouro

Marketing Digital na história do Marketing.

O Marketing nasceu no século XX. É difícil saber exatamente quando e como ele surgiu, já que é comum o ato de fazer propaganda de algo que temos e desejamos passar a outro. O objetivo do marketing é criar relacionamentos para atrair negócios e credibilidade. Mas o que fazer quando o praticamente o público inteiro troca de mídia?

O mundo evoluiu e migrou para o meio digital, e o marketing teve que fazer o mesmo para acompanhar a massa que aprendeu a viver em um novo mundo, onde possuímos duas identidades, a vida real e a online. O que não da pra negar é que o meio digital trouxe ao marketing várias vantagens. Ele proporciona métricas claras que ajudam, a saber, se você está aplicando o seu marketing de forma efetiva ou não. Isso é ótimo para que você calcule se o retorno de sua campanha tem sido positivo ou não. Este retorno sobre o investimento é chamado de ROI, e ele facilita o trabalho de marketing nos dias de hoje.

A migração para o mundo digital fez com que o marketing fosse repensado. As novas mídias nos dão mais oportunidades para uma propaganda mais efetiva. Podemos tirar vantagem, por exemplo, de talvez o mais importante dos 4P’s, o P de praça. Com a internet temos um alcance global onde podemos determinar exatamente pra quem de qual região nossa propaganda irá aparecer. Dessa forma gastamos dinheiro apresentando nosso produto ou idéia somente para as pessoas que queremos atingir sem nem ao menos precisarmos estar na mesma região que elas.

Outra ótima atitude no marketing digital é a de criar interações da marca ou produto com o público. Isso faz com que o consumidor se sinta importante por estar visível para a marca. Dessa forma o público constrói uma confiança maior por saber que ele tem voz para aquelas pessoas ao invés de ser só mais um cliente. O público também acaba gerando informações para a marca através de suas interações e o fato de podermos mensurar isso pode abrir um grande leque de oportunidades para ajudar a definir um target ou público alvo.

A internet faz com que as informações circulem com uma velocidade extraordinária, as coisas fluem muito mais hoje em dia do que anos atrás, a rede está acessível para todos e isso impacta de uma forma muito forte. O marketing digital permite a adaptação. Caso algo mude de uma hora pra outra você também pode mudar o seu anúncio, isso não era possível anos atrás quando as propagandas eram veiculadas em mídias físicas, como um jornal por exemplo.

As ferramentas do marketing digital vêm crescendo cada vez mais, algumas já são conhecidas e outras ainda estão se consolidando, mas uma coisa é clara, elas têm facilitado cada vez mais a expansão do marketing.  A forma mais utilizada é a SEM (Search Engine Marketing), sua função é a de trazes resultados através de site de buscas como o google por exemplo. O que é muito importante considerando que os sites de busca são a porta principal praticamente todas as pessoas que acessam a internet diariamente.

Dentro do SEM temos duas formas de trabalho, o SEO (Search Engine Optimization) onde a intenção é melhorar o posicionamento do seu site na busca orgânica do Google. Esta ação é feita sem um pagamento aos sites de busca. Dependendo de como a marca ou empresa esta abordando seus clientes com palavras chaves, sites responsivos (para serem acessados de qualquer dispositivo), e matérias a colocação do site na busca do Google fica em cima ou embaixo. Ter seu site nas primeiras posições da pesquisa é ótimo, já que o cliente que pesquisou e dessa forma ele tem interesse no assunto.

A segunda forma de trabalho dentro do SEM é a PPC (Pey Per Click), nela as pessoas inserem propagandas que são apresentadas aos clientes na rede, e pagam pelos cliques em seus anúncios. São exatamente os anúncios patrocinados, gerados através do Google Adwords, onde se pode mensurar e filtrar exatamente o público que se deseja atingir. O lado positivo de trabalhar com o Adwords é que você só paga por clientes que entraram em seu site ou loja online, o que já facilita a apresentação de seu produto.

Fora as formas de marketing inseridas no SEM também temos outras ferramentas como a Mídia Display, que são os banners que ficam inseridos em portais. O email marketing, onde a vantagem é o interesse do cliente de receber novidades e ofertas de um produto ou marketing. E o Native Adversiting, que se trata de criar conteúdo de listas para inserir em outros sites já que as pessoas estão cada vez mais centradas e terminam por falta de tempo ou cansaço a não pesquisar conteúdos em diversos sites. O poder do marketing Digital é imenso e são inúmeras as suas ferramentas. A evolução do marketing resulta em uma propaganda mais eficiente e que arrecada menos custos do que anos atrás, hoje em dia só não acerta na propaganda quem não quer.

 

Read More

Funcionário deleta empresa inteira com um clique

parallaxbgcut.jpg

Uma única linha errada de código foi o suficiente para apagar uma empresa inteira. O programador Marco Marsala acidentalmente mandou o computador apagar todos os arquivos que existiam em seus servidores. A empresa de Marsala hospeda sites de 1.535 clientes, que também foram deletados.

A ordem infame era “rm –rf”, bastante conhecida entre profissionais da área de computação por seu poder destrutivo. As letras “rm” significam “remover”, “r” deleta tudo em um diretório e “f” significa “força”, ou seja, ordena que o computador ignore os avisos que perguntam se o usuário tem certeza que deseja deletar aquele arquivo.

Até os back-ups foram apagados, de acordo com Marsala, que escreveu pedindo ajuda em um fórum para desenvolvedores. Ele recebeu críticas pela segurança falha de seu sistema.Segundo as respostas no fórum, há poucas chances de recuperar os dados. O que resta, agora, é avisar todos da empresa e seus clientes e buscar um advogado, comentaram outros profissionais do ramo no fórum.

Fonte: Exame

Read More

Google Adwords e sua Importância: entenda sua função

Google Adwords – Entenda a Função

Google Adwords, a plataforma de anúncios do Google, é a maior da internet. Graças à onipresença do buscador e à quase infindável rede de sites parceiros, saber usar bem a ferramenta pode ter um peso decisivo para quem quer tirar proveito da publicidade online.

O Google Adwords é uma ótima ferramenta para todas empresas que desejam ser encontradas facilmente através do mecanismo de busca do Google e vamos explicar como ele funciona.

Ao escolher quantas palavras-chave quiser, sem número mínimo, que estiverem relacionadas ao tipo de empreendimento, o anúncio será exibido. A empresa pode segmentar a campanha do Adwords por tipo de públicos alvo, tipo de web site ou remarketing. Os anúncios ainda podem ser segmentados para clientes em determinadas localizações, sejam países, cidades, bairros ou quarteirões de distância. O anúncio é criado pela empresa, sejam textos ou imagens, transmitindo a mensagem que desejar. A ferramenta permite ajustar os anúncios, fazer testes com novos termos, pausar a campanha e reiniciá-la sem custo.

O que faz o Google Adwords ser reconhecidamente uma boa opção é o fato de que no Google as pessoas estão buscando ativamente soluções para problemas ou dúvidas que possuem. Se a sua empresa consegue ter uma oferta assertiva para essas dúvidas, meio passo já está dado para gerar oportunidades reais de negócio via este canal.

Apenas paga-se pelo número de cliques no anúncio e não pela exibição do mesmo. É a empresa que decide quanto paga por clique. Os anúncios funcionam como leilões, onde, entre outros fatores, tem uma melhor posição quem pagar mais por clique. Permitindo assim maior controle sobre o orçamento e o número de acessos com determinado orçamento. Não é necessário um gasto mínimo diário. Indiferente do número de cliques e da variação diária, a campanha permanece online.

O Adwords oferece relatórios com todos detalhes sobre registros, vendas reais geradas como resultado direto do anúncio, quantas pessoas viram os anúncios, qual a porcentagem de cliques, preços por clique, taxas e preços de conversão, número de pesquisas pelas palavras-chave, posição média do anúncio, etc.

Uma excelente estratégia para aumentar a divulgação da sua empresa, marca ou serviço é a utilização em conjunto de anúncios do Google Adwords com anúncios no Facebook Ads.

Conheça os trabalhos que desenvolvemos com Google Adwords aqui nessa página.

Read More

Mobile marketing – 5 ferramentas para engajamento segundo a IBM

Mobile marketing – A IBM Marketing Cloud aponta as melhores práticas para interagir e se relacionar com o consumidor considerando o crescente uso das interfaces móveis, como smartphones e tablets

Por Renata Leite – [email protected]

A criação de um novo algoritmo mobile-friendly pelo Google, no ano passado, serviu para derrubar qualquer crença, entre empreendedores, de que a elaboração de estratégias voltadas para smartphones, tablets e tecnologias vestíveis, o chamado mobile marketing, ainda podia ser adiada. Embora seja inegável o impacto dos devices móveis nos negócios, grande parte das empresas ainda se esforça para dominar a nova interface de comunicação e relacionamento com os consumidores.

Para melhor aproveitar o ambiente, os profissionais de Marketing precisam entender que o mobile marketing é mais que uma ferramenta; é um modo de vida, segundo ressalta a IBM Marketing Cloud. O termo representa mais do que um simples device e inclui uma série de canais, como e-mail, SMS, mídias sociais, web, entre outros. Investir em estratégias específicas para os gadgets ajuda a gerar valor para os consumidores, fidelizá-los e aumentar as receitas da companhia. Conheça a seguir cinco táticas e ferramentas para promover o engajamento mobile, de acordo com a IBM:

1. E-mail mobile
Mais de 50% dos e-mails são hoje abertos em devices móveis, sendo esse um dos principais usos dos smartphones e tablets. Isso faz com que seja tão importante ter mensagens personalizadas e com conteúdo interessante, quanto fáceis de ler e navegar independente do dispositivo em que são abertas. Para isso, é preciso adotar um design responsivo, que se utilize de ícones e botões de call to action maiores, além de imagens e fontes ampliáveis.

As preocupações não devem ser apenas técnicas. Muitas empresas já levam em consideração outras variáveis, tais como o contexto de visualização, a escolha do produto e dos processos de pagamento, contando com a abertura da mensagem em um dispositivo móvel. Outro bom caminho é incluir nos e-mails um botão de “lembrar-me depois”, que, ao clicado, agenda o envio de outra mensagem para o consumidor com o produto ou a informação que lhe chamou a atenção, de modo a permitir o acesso em outro momento.

2. Aplicativo integrado
A expectativa do mercado é de que, em 2020, os consumidores gastem mais do que US$ 101 bilhões em APPs. Para que a marca faça o melhor uso desse recurso, entretanto, ele não deve ter limitações em relação às funcionalidades ou à integração com o site. Para que as estratégias de Marketing no canal tenham sucesso, é importante que os dados de tráfego e dos usuários mobile também sejam coletados e analisados, para gerarem insights e abrirem caminho para uma experiência personalizada.

Outro passo é definir claramente quais são os objetivos da marca com o aplicativo: fazer prospects e clientes se engajarem com um conteúdo ou fazer uma oferta? A resposta a essas perguntas direcionará à melhor estratégia geral. Para qualquer uma das finalidades, o investimento em uma comunicação e um relacionamento que integre os mais diversos canais de contato com os usuários é fundamental.

3. Mensagens SMS
As mensagens de SMS são uma ferramenta indispensável ao plano de Marketing mobile. A taxa de abertura é de mais de 90% – até oito vezes superior aos resultados com e-mails -, e a leitura das mensagens ocorre em média cinco segundos após o envio. Isso facilita o disparo do texto correto no momento ideal para o consumidor escolhido. Ainda assim, esse recurso deve ser usado com parcimônia para que o cliente ou prospect não tenha uma reação negativa ao envio.

As mensagens neste canal precisam ser curtas, simples e amáveis. Elas são ideias para passar instruções fáceis ou comunicar datas de expiração de ofertas, por exemplo. O texto precisa ser elaborado especificamente para a ferramenta, em vez de ser apenas mais um meio de repetir o que já foi disparado por outras vias. Mais uma vez, as ações precisam estar integradas com todos os demais pontos de contato do consumidor com a empresa, servindo para aumentar receitas, reduzir custos e se relacionar com cliente fiéis.

Os resultados serão melhores se o canal estiver integrado às campanhas automatizadas. Assim, as respostas tendem a acontecer, com a vantagem de o SMS proporcionar facilmente o diálogo entre cliente e marca.

4. Redes sociais
Mais de 80% dos usuários do Twitter acessam o site por um device móvel, e 91% dos jovens de 18 a 29 anos que têm um smartphone conectam-se às redes sociais. Entre as pessoas com mais de 50 anos, a taxa tampouco é desprezível: 55%. Logo, tornou-se pouco razoável pensar a presença nessa mídia sem considerar o acesso móvel ou desenhar a estratégia mobile e desconsiderar as redes sociais.

Para que o conteúdo social seja adequado e compartilhável em smartphones e tablets, ele precisa respeitar a brevidade que esses sites pedem. As imagens e os gráficos também precisam funcionar nas telas menores. Mais uma vez, o canal deve estar integrado às ferramentas de captura de dados e de análise do comportamento do usuário. Ele também deve estar integrado aos demais pontos de contato. As redes sociais podem ter, por exemplo, SMS opt-ins e chamadas para baixar o APP.

É importante permitir o login por meio das redes sociais nos outros canais de relacionamento, reduzindo o tempo gasto pelos usuários com cadastro.

5. Localização
Soluções baseadas na localização dos usuários representam a inovação mais recente no Marketing mobile e oferecem diversas oportunidades para empresas se conectarem com consumidores em trânsito. As ações desse tipo se baseiam na localização física dos clientes e nas preferências deles. Os dados gerados com base na posição geográfica dos usuários ao longo do dia e do mês também podem proporcionar insights valiosos.

As ofertas e o envio de conteúdos alcançam um novo patamar com essa tática, pois chegam ao destinatário quando ele está estrategicamente posicionado. Algumas empresas já estão utilizando beacons e ferramentas similares para disparar mensagens no exato momento em que um prospect ou um cliente atravessa uma porta ou um corredor. Esse movimento representa uma verdadeira convergência dos mundos virtual e real.

Um desafio é vencer os receios das pessoas em relação à invasão de privacidade. Por isso, é importante que marcas expliquem exatamente os benefícios que os clientes terão caso autorizem o recebimento das mensagens direcionadas com base em sua localização geográfica. E para evitar irritar os usuários, deve-se considerar uma frequência de envios que limite o conteúdo disparado para um indivíduo durante um período específico.

Read More

Briefing – 5 perguntas imprescindíveis para um bom trabalho.

Um bom briefing é essencial para a elaboração de qualquer trabalho.

Quando estamos falando da identidade de uma marca então, o essencial pode até ser pouco (se isso fosse possível). Fazendo as perguntas certas ao seu cliente você irá poupar muito tempo de pesquisa e refação, porque você vai direto ao ponto, direto ao que o cliente espera.

Por isso separamos 5 perguntas básicas que você pode desmembrar em outras perguntas que forem cabíveis à empresa na qual está propondo o serviço. Com essas perguntas, você mesmo já consegue preencher o briefing inicial.

O quê?

Caso seja um trabalho novo, é nesse momento que você faz perguntas como “Quais são as peças a serem criadas?“, “A impressão deverá ser incluída no orçamento?“, entre outras.

Aproveite aqui para vender o seu peixe e falar ao cliente tudo o que poderia ser agregado ao serviço, como por exemplo o logo, manual de identidade, cartão de visita, flyers, pasta, envelope, site, assinatura de e-mail e o que mais for sua especialidade.

Por quê?

A principal pergunta que você pode tirar dessa pergunta chave é “Qual é o objetivo do seu projeto?“.

Isso pode mudar totalmente seu pensamento em relação a criação dessa marca, porque ele pode estar te contratando para fazer um redesign de uma marca já existente ou querendo criar uma nova.

Se for um redesign, você não pode deixar de conhecer a marca antiga e o que fez ele ter escolhido aquela marca. Ainda na questão de redesign, você precisaria perguntar “Por que está querendo mudar sua marca?“.

Se for uma marca nova, não deixe de saber o máximo da empresa dele, com perguntas como “Me conte mais da sua empresa“, “Fale sobre seu negócio“, “Existe um slogan?“, entre outras coisas que mudam completamente o visual da marca.

Como?

Esse momento você precisa entender como ele quer essa marca e fazer um benchmarking. “Existe um estilo que deseja seguir?“, “Quais são suas marcas de referência?“, “Quais cores você não quer utilizar?“.

Esse último é importante porque apesar de você saber que uma determinada cor terá um impacto positivo na marca dele, ele pode ter algum problema pessoal com aquela cor e não aceitá-la de jeito nenhum.

As marcas de referência determinam não só o estilo visual, mas também o público que ele gostaria de atingir e a experiência que ele quer transmitir aos seus clientes.

Onde?

Aproveite aqui para perguntar “Para quem e onde essa peça será veiculada?“.

Isso altera drasticamente as cores e o estilo de sua criação, se será voltado a um público infantil, para um público de poder aquisitivo maior ou menor, etc.

Quando?

Qual é o prazo de entrega?“. Resposta como “para ontem” não contam. O prazo influencia totalmente no valor do projeto, porque se você tem um prazo maior, você poderá fazer com mais calma, poderá trabalhar em outros projetos simultaneamente e isso pode te dar uma margem para negociação.

A pergunta “Qual é o seu budget?” divide opiniões, pois algumas empresas consideram isso agressivo, então sinta isso do seu cliente antes de perguntar, mas não deixa de ser importante até mesmo como um filtro de clientes, pois muitos desvalorizam o trabalho e você poderá descartá-lo nesse primeiro contato ou tentar convencê-lo que as coisas não são bem assim como ele imagina.

Lembrando que essas cinco perguntas chaves são para ajudá-lo a montar suas perguntas “oficiais”, como viram na explicação de cada uma.

Portanto, não perca tempo. Seja objetivo e evite desgastes com seus clientes.

Fonte: Designerd

Read More

SEO e a sua importância: saiba como utilizar de maneira correta

O trabalho de SEO é algo que dever ser tratado com atenção numa empresa pois é de extrema importância que seu site sempre esteja acima de seus concorrentes e, melhor ainda, na primeira página do Google

Read More
WhatsApp chat WhatsApp Comunikar